domingo, 30 de novembro de 2008

Pull and Bear em câmara lenta

Neste Sábado o tempo em Lisboa esteve em geral desolador, muito frio e muito chuvoso. Mesmo assim, 11 agentes ImprovLisboa apareceram no ponto de encontro da missão marcada (que entretanto mudara por causa da chuva). Por causa da mudança, e porque havia muitas outras pessoas a abrigarem-se da chuva no mesmo local, tivemos de fazer à pressa um cartaz para indicar quem éramos.


Agente Somos e Agente Prosti esperam por mais pessoas, em vão

O que estava planeado era fazer a missão numa loja muito maior, mas face ao número reduzido de agentes, acabámos por combinar entrar na Pull and Bear do Vasco da Gama. O objectivo era, a dado segundo, todos começarem a fazer compras em câmara lenta. Depois de 5 minutos voltariam ao normal, seguidos de 5 minutos de freeze total. Depois, cada um iria à sua vida.


Da esquerda para a direita, Agente Mimi, Agente Lenço, Agente Ochôa, Agente Magoo, Agente Tuta, Agente Prosti, Agente É-da-Polícia, Agente Somos (em baixo), Agente Correia, Agente Aniratac, Agente Enquanto

Acabou por ser uma missão divertida, tanto para nós como para a maioria das pessoas que estavam na loja. Como sempre em missões deste tipo, os empregados divertiram-se, enquanto os encarregados entravam em pânico. Estranhando o que se estava a passar, umas raparigas entraram e tentaram sabotar a missão, especialmente à Agente Tuta (que segurava no ar umas cuecas), e ao agente Prosti (que estava a calçar um sapato) mas todos ficaram impávidos.


A nossa vítima

Numa loja tão pequena seria impossível filmar, mesmo à socapa, mas temos aqui os relatórios de alguns agentes.



Agente Somos:

Durante o slow-motion, poucas pessoas repararam que alguma coisa de estranho estivesse a acontecer, especialmente porque os clientes em lojas de roupa se movem naturalmente devagar. Apenas uma empregada, a que se estava a divertir mais com a situação, reparou em mim enquanto eu me movia muito devagar para junto dela. Depois do slow-mo, e quando estávamos mesmo a chegar ao freeze, eu perguntei a essa rapariga onde estavam as t-shirts giras. Enquanto ela me ia buscar umas, vi uns ténis na prateleira de cima. Reparei que já tinha chegado a hora de congelar, e assim fiquei, esticado para os ténis e ignorando totalmente a rapariga das t-shirts.
Eu não conseguia ver grande coisa de onde estava, mas ouvi-a dizer que ia buscar uns para mim. Uns minutos depois, ela esticou-se e pôs-me um dos ténis na mão que eu tinha esticada no ar.
O encarregado estava em pânico. Começou a dizer a todos os empregados para pararem o que estavam a fazer, vigiarem a roupa, e tirarem aquelas pessoas dali. Acabou por me vir dizer que ia ter de sair, o que com sorte foi no preciso momento em que acabaram os 5 minutos.
Algumas coisas que ouvi:

"Quer que tire os ténis para si?"

"Tire-me esse rapaz daí!"
"Ai, não sei se deva..."

"Ha-ha... aquele está-se a mexer!"


Agente Lenço:

Durante os primeiros 5 minutos acho que quase ninguém notou nos movimentos lentos e um agente deu-me um chapéu, que era giro, era giro. Quando o tempo do freeze se estava a aproximar eu peguei numa mini-saia, e a minha cunhada, agente Mimi, num casaco e metemo-nos a frente de um espelho a ver como nos ficavam essas roupas, e nos seguintes minutos eram duas pessoas que não pararam nunca de olhar para nós, pessoas que paravam um bocado para não passar à nossa frente mas que cedo o faziam, uma pessoa que actuou como se não estivessemos lá de todo, experimentando roupa à nossa frente e pessoas que comentavam que devia ser promessa. Os meus dotes de actor são horríveis, sempre que alguém olhava para mim eu só me ria, mas a Agente Mimi era uma estátua autêntica. Foi uma boa tarde ;)


Agente É-da-Polícia:

Quando me aproximei-me do Agente Somos para tentar perceber se faltava muito para o “freeze”, ele esticou-se para tirar uns ténis da prateleira mais alta. E foi precisamente quando parou. Parei eu também (e de boca aberta porque ia começar a falar com ele). E assim ficámos durante cinco minutos. Ele esticado, com um braço no ar, para chegar à prateleira. E eu de boca aberta, a olhar com aparente espanto para uns brilhantes ténis brancos. Quase após termos começado o “freeze”, uma empregada da loja disse-nos que ia buscar os ténis para nós. Segundos depois regressou com um banco e subiu. Como não lhe respondemos nem reagimos ao facto de ela tirar um dos ténis que parecíamos querer, ela disse ao Agente Somos que o ia colocar na mão dele. Foi o que fez. A dada altura, um dos empregados deve ter pensado que estávamos a tentar desviar a atenção para fazer algum roubo, e ouvi-o dizer: «Susana, pára o que estás a fazer. Durante cinco minutos faz só ronda à loja». Durante o “freeze” ouviram-se mais comentários, pessoas a rir alto, incluindo duas empregadas que estavam a arrumar roupa ali perto. Não estava a contar o tempo, mas penso que já perto do final dos cinco minutos, um dos empregados pediu a uma colega que nos tirasse dali. Ela respondeu: «Mas eles só estão ali parados». Apesar disso, pouco depois veio ter connosco e, pedindo desculpa, disse que tínhamos que parar de fazer aquilo. Voltámos a mexer-nos e, como se nada tivesse acontecido, o Agente Somos devolveu os ténis à prateleira e começámos a andar para saída. Comentei que os ténis eram demasiado brilhantes para ele, e ele disse-me que também eram demasiado caros. Havia algumas pessoas a rir e a olhar para nós. Saímos.


Missão Cumprida!

9 comentários:

ImprovLisboa disse...

Espero não me ter enganado nos nomes de ninguém.

Agente Somos

Pintas Tuninho disse...

fantastico! deve ter sido lindo! infelismente nesse fds fui para fora! marquem la um em que eu esteja cá! xD

abraços e continuem com as iniciativas

youth gone wild disse...

oioi :D
não há nada marcado para os lados do porto? :x
beijinho

Sr. Banana disse...

Epá...me entristece não ter podido ir. Da próxima estou lá!\

Inês Moreira Santos disse...

Vocês são demais!! ^^
Desta x não fui e já percebi que devia mesmo ter ido.

Beijinhos****

Diário da Santa disse...

Pena não filmarem! Devia sempre de haver um agente de telemóvel a filmar! Ou no mínimo a fotografar, tal como se fosse um dos outros clientes que estavam na loja. Estas iniciativas lá fora resultam, e não nos fartamos de as ver pq estão registadas!!! Registem!!!! BOAS E CONTINUEM!!!!

ALinha! disse...

Brutalíssimo! Deve ter sido mesmo diverido! Adorava paerticipar numa cena assim. Com mais gente teria um impacto espectacular.
Continuem ;)

Belard disse...

Lá fora é permitido filmar em quase todos os espaços públicos ou com acesso ao público, e há leis que dizem isso. Não em portugal: não podes filmar, por exemplo, num centro comercial, porque é propriedade privada. Já vi chamarem a polícia por causa de alguém filmar, inclusive.

Kapitão Kaus disse...

LOLLLL

Não vos conhecia, mas confesso que estou a achar um piadão às vossas performances!!!

LOL